FUMAS | https://fumas.jundiai.sp.gov.br

Eloísa Mafalda (Mafalda Theoto)

Principal atividade ou função histórica: Artística

Nascimento: 18/09/1924

Sepultamento: 16/05/2018

Localização: Quadra 38

Descrição do jazigo: Sepultura revestida de cerâmica

Dados biográficos e menção histórica:

Neta de italianos, a atriz Eloísa Mafalda nasceu em Jundiaí como Mafalda Theoto. Nascida em uma família tradicional de Jundiaí (a ponto de sua mãe, dona Bertholina, ter sido dama de companhia do Barão de Jundiahy), por pouco, seu histórico também não incluiu a participação nos Jogos Olímpicos de 1936, aos 12 anos, quando o pai não permitiu que ela participasse pela modalidade natação.

Na adolescência, com o divórcio dos pais, ela e o irmão Epaminondas começaram a trabalhar para ajudar no sustento da casa. Epaminondas tornou-se locutor nas rádios Tupi e Difusora, em São Paulo, e Mafalda trabalhou como costureira e, mais tarde, como auxiliar de escritório nas Emissora Associadas, onde conheceu a alemã Alice Waldvoguel, que lhe ensinou sobre arte e interpretação.

O início da vida artística de Mafalda aconteceu por acaso. O irmão Epaminondas, que já usava o pseudônimo Oliveira Neto – nome que o consagrou na famosa Era do Rádio – foi para a Tupi-Tamoio, no Rio de Janeiro. Para levar a irmã, a convenceu a fazer um teste de rádio-teatro.

Mafalda fez o teste e foi aprovada, escolhendo o nome Eloísa para assinar sua carreira artística, que incluiu muitas radionovelas na Rádio Nacional e, depois, atuações na TV Paulista, que mais tarde foi vendida para a Globo.

No cinema, estreou em 1950 no filme Somos Dois. No teatro, em 1965, na peça “O Morro dos Ventos Uivantes”. Pouco se dedicou à estas áreas de atuação artística, porque sua grande atuação foi mesmo diante das câmeras de televisão. E entre tantos papéis marcantes, Eloísa Mafalda interpretou papéis inesquecíveis como a Dona Nenê (da primeira versão de “A Grande Família”); a Maria Machadão (da novela “Gabriela”); dona Gioconda Pontes (em “Pedra Sobre Pedra”) e o seu maior sucesso: Dona Pombinha Abelha (em “Roque Santeiro”). Em relação à sua trajetória profissional, Mafalda costumava dizer: “Tudo aconteceu por acaso. Eu não queria ser atriz. Foi tudo uma brincadeira”.

Eloísa Mafalda foi casada com Miguel Teixeira por três anos, com quem teve dois filhos, Marcos e Mírian. O jazigo de Miguel está ao lado do dela, no Cemitério do Desterro, onde foi sepultada em 16 de maio de 2018. Viveu seus últimos anos em Petrópolis, com a família, e faleceu por conta de insuficiência respiratória.